SOMOS TODAS PERIGUETES

Sempre desconfiei que a expressão “periguete” viesse da palavra perigo. Na minha versão romanceada, uma jovem “donzela”, recém-chegada de Paris, durante um city tour no Morro do Alemão, acompanhada de seu “ingênuo” noivo, sentiu-se ameaçada por uma fêmea “local” e gritou em desespero: “Socorrô! Perrigô! Perriguète! Perriguète!” A falta de domínio do idioma somada aoContinuar lendo “SOMOS TODAS PERIGUETES”